Terapia na Web

Terapia EMDR: como (e por que) funciona?

Saiba como a Terapia EMDR pode mudar a sua vida.

A terapia EMDR é uma abordagem terapêutica que tem sido usada para tratar doenças como depressão, medo e ansiedade, baixa auto-estima, vícios, dor, perda e Transtorno do Estresse Pós Traumático. 

Sendo um dos tratamentos psicoterapêuticos mais pesquisados e modernos, a comprovação de sua eficácia tem sido acompanhada entre vários grupos de pacientes, incluindo veteranos militares e vítimas de agressão sexual.

Mas sua aplicação não se limita a vítimas dessas situações. A terapia EMDR pode ser aplicada no tratamento de crenças negativas e traumas mais comuns, como o medo de dirigir, disforia corporal e fobias como medo de pássaros, insetos, altura…

Neste artigo, vou te contar tudo sobre a terapia EMDR e como ela funciona. Boa leitura!

O que é Terapia EMDR?

EMDR é a sigla para Eye Movement Desensitization and Reprocessing, em português podemos traduzir para Dessensibilização e Reprocessamento através de Movimentos Oculares. 

Na terapia EMDR, re-processamos informações e traumas do paciente, usando estímulos bilaterais como ferramenta.

Esse método foi desenvolvido pela Dra. Francine Shapiro, e como a maioria das grandes descobertas, foi acidental.

Logo após receber o diagnóstico de câncer, a Dra. Shapiro decidiu caminhar até sua casa. Ao longo do caminho, notou que, ao pensar em seu terrível e assustador diagnóstico, seus olhos movimentavam-se rapidamente.

Logo após uma série de movimentos, voltou a pensar no assunto e notou que não sentiu a mesma perturbação de alguns minutos atrás.

Foi assim que começaram seus estudos sobre EMDR com veteranos de guerra e vítimas de abuso. 

Com o avanço de sua pesquisa, percebeu que a real importância não era o movimento ocular, mas sim a estimulação bilateral

Em resumo, o EMDR se baseia neste princípio: quando o corpo é estimulado intercaladamente de cada lado, o cérebro é capaz de re-processar da mesma forma que ocorre com o movimento dos olhos.

Como os estímulos bilaterais podem ajudar a lidar com traumas?

Você já deve ter ouvido falar em sono REM. Esse é o estágio mais profundo do sono, onde nossos olhos se movimentam rapidamente, temos sonhos mais vívidos e nosso cérebro apresenta uma atividade intensa.

O que acontece durante o sono REM, é resultado do seu cérebro processando as informações de tudo o que ocorreu durante o dia.

Dentro da Psicologia, existe a teoria de que todos nós temos uma espécie de sistema imunológico mental, chamamos ele de Processamento Adaptativo de Informações (PAI).

É durante o sono REM, que o PAI entra em jogo, digerindo as informações e prevenindo o desenvolvimento de traumas provenientes de acontecimentos banais.

Por exemplo: se um colega jogou um inseto de brinquedo em você durante o café, este sistema previne que  você desenvolva imediatamente uma fobia por insetos. 

Mas se você se assustou muito, pode passar o resto do dia alarmado e até sonhar com insetos.

Esse sonho é um reflexo do seu cérebro processando o ocorrido, durante o sono REM, você pode se lembrar dele ou não. 

Provavelmente, no dia seguinte, o susto terá passado e você estará pensando em uma pegadinha melhor para fazer com o autor da traquinagem.

Porém, há situações na vida que passamos e não sabemos lidar. Nesses momentos, é como se o PAI parasse de funcionar, pois a sua janela de tolerância foi ultrapassada. É assim que nascem os traumas.

O que é crença negativa?

Crença negativa é algo que você acredita que é negativo, e costuma não ser exatamente verdade. Uma crença negativa é muito semelhante a um trauma, e costuma estar ligada a eles costumam estar interligados.

É possível ter crenças negativas  sobre algo relacionado a sua aparência, comportamento e até mesmo a respeito de outras pessoas.

Você já deve ter comido algo que não caiu bem no estômago, e passou o dia se sentindo mal só de lembrar da comida. Apliquemos isso a algo não tão palpável quanto um alimento: uma memória.

Pelo fato de seu cérebro não ter conseguido processar este momento, essa memória ruim vai se cristalizar em sua mente. Diferente da comida, ela pode ficar lá por anos, fazendo com que você reviva todas as sensações daquele momento a cada vez que se lembrar do ocorrido. 

É aí que entra a terapia EMDR. Através dos estímulos bilaterais, simulamos um estado de atividade cerebral semelhante ao sono REM, porém acordados.

Assim, os estímulos criam a possibilidade de comunicação entre os hemisférios esquerdo e direito do cérebro do paciente, ativando o PAI para que ele consiga processar o que aconteceu no passado, em um ambiente seguro e controlado, acompanhado por um psicólogo treinado.

Dessa forma,o paciente muda seu pensamento sobre o ocorrido espontaneamente, enxergando a situação com maior maturidade e objetividade. 

Usando o EMDR para mudar o cérebro, transformamos pensamentos prejudiciais e autodestrutivos em crenças e comportamentos saudáveis e positivos.

Temos um vídeo falando um pouquinho sobre EMDR aplicado em casos de estresse pós traumático no nosso canal. Confira:

https://www.youtube.com/watch?v=s4h-DZiAVwE&ab_channel=TerapianaWeb

Como o EMDR atua no cérebro?

Fazendo a comunicação entre os hemisférios através dos estímulos bilaterais, formam-se novas sinapses, mudando o local de emissão dos estímulos de pensamentos nas áreas cerebrais. 

Criando novas redes neurais e usando a incrível capacidade de adaptação de nosso cérebro, o EMDR é capaz de curar traumas e crenças negativas de forma muito mais rápida e eficiente comparada aos métodos convencionais de psicoterapia.

Chegamos a essas informações através de anos de estudos e aplicação da terapia EMDR em milhares de pessoas, observando, em centenas de estudos científicos, como o EMDR pode transformar uma pessoa. 

Imagem de uma ressonância magnética do cérebro após sessões de EMDR
Legenda:

Imagem esquerda: cérebro mostrando superatividade em vermelho.

Imagem direita: mesmo cérebro depois do tratamento com EMDR.

Essa imagem mostra a comparação entre duas ressonâncias magnéticas. À esquerda, vemos o cérebro antes do tratamento com EMDR. Ele apresenta superatividade, mostrada em vermelho. À direita, temos o cérebro do mesmo indivíduo após o tratamento. 

É importante ressaltar que, apesar de parecer simples, a terapia EMDR não deve ser auto aplicada. Algumas pessoas podem se sentir muito mal ao reprocessar e até mesmo se tornarem violentas. Por isso, não faça isso sozinho ou sem o acompanhamento de um psicólogo treinado. 

E entenda que EMDR não é apenas a estimulação bilateral. O fato de estar junto com o terapeuta em um lugar seguro faz toda a diferença. Além disso, existem casos que é necessário utilizar de técnicas de Estado de Ego e Entrelaçamento cognitivo para que o reprocessamento termine bem.

A Terapia EMDR Online funciona?

A Psicologia tem se adaptado e conseguido acompanhar os avanços tecnológicos e as demandas da atualidade.

A vida moderna tem nos deixado mais doentes mentalmente do que nunca, e a terapia online tem sido uma solução eficaz para a maioria das pessoas que nos procuram.

O EMDR não se limita apenas para a clínica física, podendo ser feito também no processo psicoterápico online. Isso é obtido através da estimulação bilateral com sons, vídeos e toques que o paciente aplica em si mesmo.

Nossos clientes costumam se surpreender no final da primeira sessão, principalmente aqueles que já haviam feito sessões presenciais com outros profissionais em algum momento. 

Temos vários relatos dos pacientes se sentirem confortáveis ao perceber que não é necessário estar na mesma sala que o profissional para se criar um vínculo terapêutico e ter um bom trabalho psicológico.

Dessa forma o alcance se torna maior, pois basta fazer a terapia através de uma videochamada.

Quem pode fazer terapia EMDR?

A terapia EMDR é recomendada para todas as idades: crianças, adolescentes, adultos e idosos.

Até mesmo bebês cuja gestação foi turbulenta podem fazer terapia EMDR, junto com a mãe, e reprocessar memórias e traumas que poderiam, inconscientemente, levar pelo resto da vida.

Porém, o EMDR não é recomendado para gestantes que estão no final da gravidez, já que durante o reprocessamento podem passar por um período de estresse agudo, alterando sua pressão arterial e arriscando sua saúde e a do bebê.

Estudantes de psicologia animal têm aplicado terapia EMDR em cães e gatos, resgatados em situação de maus tratos. Os resultados têm sido tão surpreendentes quanto em humanos.

Se você acha que seu caso é muito complexo, pois nenhum outro método conseguiu te ajudar antes e ainda tem suas dúvidas, converse com um especialista! Ele irá avaliar o seu caso. E lembre-se: se a terapia EMDR ajudou o veterano de guerra, o bebe e o cachorrinho, por que não ajudaria você?

A Terapia na Web é um grupo de psicólogos qualificados para os mais diversos casos, somos especialistas em terapia online e também atendemos presencialmente em Maringá/PR.

Caso tenha se interessado por fazer terapia online conosco, entre em contato. Você pode mandar um e-mail para contato@terapianaweb.com.br ou clicar aqui para falar com a gente diretamente pelo WhatsApp.

Se gostou do nosso conteúdo, leia outros artigos do nosso blog, conheça também nosso canal no YouTube e siga no Instagram, estamos sempre postando novidades por lá.

Por fim, se você conhece alguém que precisa de ajuda e que esse artigo possa ser útil, compartilhe, você pode estar salvando uma vida.

Foto da equipe com o psicólogo Leonardo Garcia

Por Leo Garcia

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Clique para

Conheça nosso trabalho nas redes sociais.

Tem alguma sugestão de tema?

Por acaso procurou um post sobre algum tema e não encontrou, então entre em contato e nos diga qual foi! Vamos reunir a equipe para apresentá-lo o mais rápido possível.

Entrar em contato