Terapia na Web

Como vencer a procrastinação

Entenda o que é a procrastinação, seus tipos e o que você pode fazer para vencer!

ano de 2020 foi no mínimo um ano atípico, o que fez com que todos tivessem que se adaptar para continuar vivendo de maneira saudável e sem tanta exposição e risco de contágio.

Porém, nem todos conseguiram se adaptar positivamente, desenvolvendo ou aumentando ainda mais o hábito de procrastinar.

A procrastinação passou a fazer parte do dia-a-dia de muita gente, impulsionada pela ideia de que a pandemia seria algo rápido e passageiro, apenas algumas semanas.

Se você já sofria do mal de procrastinar e percebeu que isso tem aumentado, relaxe, você não é o único!
Acalme-se, iremos te explicar o que é procrastinação, classificar alguns tipos de procrastinação e te ensinar como lidar com ela, ou até mesmo, vencê-la!

O que é procrastinação?

Procrastinação pode ser definida como atrasar/adiar um projeto, tarefas, ou uma ação com intenção, mesmo que já espere se sentir mal, envergonhado ou culpado do atraso dela.

Todos nós procrastinamos ocasionalmente, é quase como se “escolhêssemos” ficar mal, já que sabemos da necessidade de finalizar determinadas tarefas.

O ponto é que, muitas vezes nos encaramos como procrastinadores, adotando esse rótulo para si. Essa é uma atitude “injusta” pois, é quase impossível procrastinar em todas as áreas de nossa vida.

O que acontece, é que em determinadas áreas, termos dificuldade de executar planejamentos ou cumprir com aquilo que tínhamos nos proposto a realizar.

Um exemplo clássico de como a procrastinação afeta a todos é como temos dificuldade de começar uma nova dieta, sempre “deixando para comer certo” na segunda-feira e “pisando na jaca” nos finais de semana.

Qual a causa da sua procrastinação?

O que geralmente não entendemos, é que a procrastinação é um sintoma de algo muito maior. 

A procrastinação não acontece por nada, sempre existe um motivo, e é exatamente por isso que é quase impossível procrastinamos em todas as áreas de nossa vida. 

Uma das áreas costumeiras da procrastinação acaba sendo o trabalho, e podemos identificar possíveis causas que nos fazem procrastinar:

Olhando para essas possibilidades (sendo que existem inúmeras outras), podemos compreender que você não é um procrastinador, mas sim que tem dificuldade de lidar com algo e isso o faz procrastinar. 

Outro ponto que precisamos entender, é que certas coisas que procrastinamos se dão pelo fato de serem desconfortáveis, porém necessárias. 

Aquela visitinha ao dentista a cada 6 meses, 1 ano, poderia ter evitado que uma cárie virasse um canal. Mas ninguém gosta de ir ao dentista, e isso provavelmente faz com que essas consultas de rotina se tornem, provavelmente, uma das coisas mais procrastinadas pelas pessoas.

Esses pequenos desconfortos fazem com que protelemos sempre, já que temos dificuldade em lidar com eles.

Precisamos compreender que isso é normal e que sempre irão aparecer situações desconfortáveis em nossas vidas e precisaremos lidar, antes que piorem, como a cárie no dente.

É comum encontrar pessoas em situações ruins, mas que não tem “coragem”, forças ou condições psicológicas para sair delas. Qualquer movimento, em busca de mudar a situação é “aversivo” para ela. 

Um exemplo comum, é quando a pessoa se mantém em um relacionamento que ruim, pois ela tem um medo tão grande de ficar sozinha que permanece paralisada. 

Esse medo de ficar sozinha, acaba sendo tremendamente desconfortável, gerando aversão a qualquer atitude que possa levar a solidão, e fazendo com que permaneça  nessa relação por um bom tempo, mesmo estando infeliz.

O que geralmente não entendemos, é que sentimentos “ruins” sempre irão existir em nossa vida. 

É compreensível que ninguém goste de sentir-se angustiado, triste, envergonhado, etc… Mas eles fazem parte da vida, e precisamos aprender a lidar com eles. 

É comum procrastinar quando pensamos no amanhã e isso gera ansiedade, dor, desconforto… A maior probabilidade é que iremos criar alguma desculpa e deixar para depois.

“Você não pode parar as ondas do mar, mas pode aprender a surfar”

John Kabat-Zinn

Quais são os tipos de procrastinação?

Existem tantas formas de procrastinar quanto existem motivos, que nos levam a esse comportamento.

Alguns estilos de procrastinadores mais comuns são:

  • O procrastinador perfeccionista neurótico
  • O procrastinador sonhador
  • O procrastinador preocupado
  • O procrastinador rebelde
  • O procrastinador dramático
  • O procrastinador ocupado

Esses são alguns tipos de procrastinadores, pode ser que você se encaixe em algum deles ou que contenha um pouco de cada um.

Daremos algumas ferramentas para que você identifique as causas da sua procrastinação e como lidar, até mesmo vencê-la.

Devo ressaltar que se o hábito procrastinar está afetando significativamente sua vida ou de quem você ama, independente do tipo de procrastinador que você se identifique, procure um psicólogo imediatamente.

O procrastinador perfeccionista neurótico

O procrastinador perfeccionista neurótico tem como principal característica ser aquele que tem dificuldade em concluir e entregar um trabalho trabalho, e é exatamente por isso que ele procrastina.

Também possuem dificuldade de lidar com prazos, já que fazem e refazem o seu trabalho diversas vezes. Por isso há um tendência de estabelecer prazos longos, pois assim o procrastinador perfeccionista neurótico teria o tempo que necessita para atingir a perfeição que deseja. Sabemos que mesmo assim ele acabará procrastinando.

A mente desse tipo de procrastinador, simplesmente não consegue focar na execução do projeto e passa a  criar todas as possibilidades de sofrimento que podem acontecer, trazendo à tona o desconforto da situação hipotética.

Ao sofrer por antecipação, seu corpo começa a sentir dor, ansiedade, estresse e outros sintomas.

O procrastinador perfeccionista neurótico costuma ficar à espera  de que a  situação seja “perfeita” para executar a tarefa, pois dessa forma eliminaria a possibilidade de dar errado.

No caso de pessoas perfeccionistas, procrastinadoras ou não, precisamos trabalhar a questão da vulnerabilidade e autocompaixão, para que a mesma consiga se expor/arriscar na conclusão de projetos.

Mas qual a diferença entre aprimoração e perfeccionismo?

A pessoa que busca se aprimorar não deixa de executar suas ações. Ela entende que não está perfeita, mas sabe que pode ser entregue desta maneira e com o decorrer do tempo irá aprimorá-la, recebendo críticas/feedbacks dos quais irão ajudar a corrigir certos traços.

Podemos usar como exemplo os jogos online, normalmente eles são lançados para testes em Versão Beta (às vezes alfa, só que para um público ainda mais seleto de jogadores), e dessa forma os jogadores testam o jogo e mandam relatórios sobre problemas que encontraram durante a sua experiência.

Ou seja, grandes empresas desenvolvedoras jogos, procuram entregar de antemão seu produto ainda não totalmente pronto, para receberem críticas e facilitar o aprimoramento.

Mesmo depois de lançado, o jogo, continua a receber constantes atualizações para correção de bugs e outros problemas que aparecem durante a experiência do jogador.

"Procrastinação é perpetuado por boas intenções combinadas com maus hábitos"

É compreensível que você não quer se machucar, ou decepcionar alguém com o que você precisa entregar, mas o fato de você não fazer ou procrastinar já te machuca!

"Quem muito controla a vida, pouca vida tem para controlar"

Isso não quer dizer que não precisamos de planejamento, mas sim de entender que nem tudo estará sob o nosso controle, e que está tudo bem.

Outra característica desse estilo de pessoa é que tendem a trabalhar mais sozinhas e acreditam que todos querem sempre competir.

Por causa desse comportamento neurótico, muitas vezes extremamente competitivo, esse tipo de procrastinador acaba tendo dificuldades em manter amizades, por tentar moldá-las ao que considera que seria melhor e ficar sempre se comparando.

Com essas comparações, nosso procrastinador neurótico perfeccionista acaba se sentindo inferior com frequência e então evita de se relacionar com os outros para “não se machucar”.

Dessa forma, o perfeccionista acaba vendo as pessoas mais como adversários do que potenciais amigos e sabemos que quem realmente o machuca é ele mesmo.

Como lidar com a procrastinação perfeccionista neurótica?

Para vencermos a procrastinação perfeccionista neurótica, precisamos aprender a lidar com o desconforto e com a possibilidade do erro.

Uma das maneiras que irão te fazer lidar melhor com o erro, é parar de se julgar e julgar os outros! Isso mesmo, pessoas que são neuróticas perfeccionistas julgam tudo em sua volta, principalmente a si mesmo.

O problema é que o julgamento sempre desconsidera o contexto do qual a ação aconteceu, ou seja, quem julga faz sem saber o que realmente aconteceu.

Por isso que práticas de mindfulness auxiliam o tratamento desse tipo de comportamento, pois permitem que você esteja aberto a experiência e então conhecer o que aconteceu e assim passar a conhecer. Muitas vezes erramos sem querer errar, então porque é que vamos nos martirizar?

Outro ponto é a necessidade de deixar de ser meticuloso e deixar as coisas simplesmente fluírem. Isso irá ajudar e muito na procrastinação e alcançará a prosperidade.

No latim, prosperidade significa “no fluxo”, e quando procrastinamos nós evitamos os pequenos passos que irão nos levar para as metas, já a prosperidade pressupõe que esses pequenos passos são seguidos e guiados por um propósito na mente, que é claro e atingível.

O procrastinador sonhador

O procrastinador sonhador é caracterizado por ser o tipo de pessoa sonhadora, que vive dentro dos seus sonhos, mas que tem uma grande dificuldade de criar hábitos e habilidades para alcançar.

Eles querem grandes resultados sem muito esforço, até por isso que esse tipo de procrastinador parece sempre estar esperando um milagre acontecer.

É como se esses procrastinadores acreditassem que são abençoados e que basta ter fé que o seu objetivo irá chegar, agindo de forma passiva perante a vida e por isso acabam evitando lidar com problemas e aceitar responsabilidades.

É comum ver esse tipo de procrastinador trocando de sonhos, pois eles idealizam um novo projeto e acabam abandonando, muitas vezes, antes mesmo de começar.

Dessa forma o discurso do procrastinador sonhador sempre será belo, mas seus resultados não.

Geralmente essas pessoas pensam que são seres superiores, de grande intelecto ou talento e que por isso não precisam fazer coisas comuns que pessoas de sucesso fazem, como estudar,  ter uma rotina ou traçar um plano concreto e realista para atingir seus objetivos.

Nada melhor do que a rotina para rasgar o véu das falsas aparências

Esses procrastinadores também possuem uma propensão a vícios, principalmente jogos de loteria. Afinal, quer oportunidade mais “miraculosa” do que esta?

Não quero dizer que você não deve jogar, mas convenhamos que isso jamais poderá ser colocado como possibilidade para você estruturar sua vida, isto é, não conte como uma possiblidade, apenas como um “bônus” que possa acontecer.

Também é característico de procrastinadores sonhadores serem devedores, e não porque são desonestos, mas sim por sonhar muito alto e “esquecer” de trabalhar.

Esses procrastinadores sonhadores possuem a dificuldade de fazer o básico e com constância, e por isso acabam colocando um monte de metas, mas não realizando elas.

Outro comportamento característico destes procrastinadores é aquela famosa fala “a partir do dia 1 de Janeiro, minha vida será totalmente diferente”. No final sabemos que quase sempre, acontecem as mesmas coisas, pois não houveram esforços ou atitudes relevantes voltadas para que o resultado fosse diferente..

Se você se identificou com esse tipo de procrastinador, calma. O primeiro passo para que as coisas mudem é admitir que você tem esse hábito de procrastinar, e então procurar descobrir os motivos que te fazem agir assim.

"O sucesso não é baseado no quanto que você faz, mas sim no que você faz diariamente"

Como combater a procrastinação sonhadora?

Comece a fazer o simples e pare de pensar um pouco nos grandes sonhos neste momento. O básico é o essencial para poder crescer.

Você pode sim ter desejos homéricos, mas como o padrão de seu comportamento é não agir exatamente por pensar assim, dê um passo para trás e pense em algo menor. Afinal, conquistas grandiosas não acontecem do dia para noite, porém pequenas vitórias sim, então aprenda a olhar e traçar elas, pois isso te dará mais forças.

Não busque conquistas para se provar que é “algo/alguém”, pois você já é! Não precisa se provar para ninguém, e sim apenas ser feliz com suas conquistas.

Invista a energia que usaria de desvalidando para trabalhar duro e concluir seus projetos.

Lembre-se, devagar e sempre, igual a história da “Lebre e a tartaruga”. Entenda que sucesso não é o quanto você fez, mas sim o que você está se tornando e o que está sentindo. Somente nós que sabemos de nossas lutas diárias, aprenda a ser seu próprio motivador.

O procrastinador preocupado

O procrastinador preocupado pode ser muito parecido com o perfeccionista, pois gosta de ter certezas das coisas que irão acontecer.

Eles vivem no mundo das infinitas possibilidades do “e se?” E se eu fizer falar para fulano que eu gosto dele e ele me recusar? E se eu tentar fazer uma entrevista e acabar travando na frente de todos? E se eu aplicar para o concurso, dar certo e eu não dar conta depois?…

A diferença entre o procrastinador preocupado e o neurótico perfeccionista é que eles são mais “medrosos” e passivos.

Os procrastinadores perfeccionistas acabam sendo extremamente críticos e tendem a serem mais insatisfeitos com a sua realidade, sempre incomodados, diferente do preocupado que fica contente com pouco, já que traz segurança. Ambos precisam aprender a deixar as coisas fluírem.

Os preocupados tendem a ser mais ansiosos do que os outros estilos de procrastinadores, já que vivem com medo. Por isso acabam desperdiçando muito o seu tempo, já que vivem dentro de sua cabeça cogitando as inúmeras possibilidades que podem acontecer.

Costumam ser pessoas muito inteligentes, entretanto, o procrastinador preocupado costuma não ter inteligência emocional para equilibrar seu lado racional. Exatamente por esta falta de inteligência emocional, é comum ficarem paralisados na hora de tomar uma decisão.

"A vida é muito preciosa quanto se tem pouco a perder".

Como lidar com a procrastinação preocupada?

É comum aos preocupados, terem tensões em sua musculatura, até por isso que altamente recomendável para esse público fazer atividades como Yoga, Tai Chi ou qualquer arte marcial que trabalhe uma disciplina emocional.

Além disso, é importante que trabalhem sua socialização, os procrastinadores preocupados tem dificuldade de se relacionar pois, tendem a ficar mais isolados pelo medo das relações.

As aulas de artes marciais acabam sendo ainda mais interessantes, já que promovem a prática em duplas, aumentando a interação social do procrastinador preocupado, além de ensinarem a lidar com a frustração de uma derrota.

Todos já passamos por situações em que depois de enfrentar um grande medo, percebemos que a situação não era tão arriscada ou complicada assim.

Permita-se ser mais vulnerável. O procrastinador preocupado precisa acima de tudo, enfrentar seus medos e viver a vida olhando mais para suas vontades.

O procrastinador rebelde

O procrastinador rebelde tende a “aceitar” o que lhe foi pedido, porém fazer o que ele bem quiser.

Pelo fato de não recusarem o que lhe foi pedido, isso gera um acúmulo grande e eles acabam não fazendo o acordado, e quando fazem é de maneira ineficiente no meio de seus problemas emocionais.

Eles possuem uma característica de passivo-agressivo, portanto, eles tendem a criar mais conflitos do que realmente produzir. Essa rebelião acaba sendo contra seu próprio sucesso no final das contas.

Os procrastinadores rebeldes se assemelham aos sonhadores, e os que se doam sempre para os outros esquecendo de si.

Geralmente são talentosos, e para entender bem podemos associar o seu comportamento como a de um atleta que joga muito bem, porém por ser rebelde, não quer treinar. É como se ele quisesse apenas participar das competições e receber o prêmio, negligenciando o essencial para sua vitória, o treinamento.

Os procrastinadores rebeldes tendem a ser grandes iniciadores, mas péssimos finalizadores, tendo dificuldades para conquistar seus objetivos.

"O fraco jamais perdoa: o perdão é uma das características do forte."

O procrastinador rebelde tende a ter baixa autoestima, mas a esconde  através de uma autoconfiança que engana os outros e a si mesmo, pois não trabalham com seu lado emocional, gerando um ego inflado.

Costumam ser mais irritados, criando momentos de explosões de raiva, ódio e depois ressentimento. É como se as emoções desse tipo de procrastinador fossem uma montanha-russa, cheia de altos e baixos.

Podem ser pessoas com forte espirito de liderança, grande vontade de realizar mudanças no mundo… mas devido a suas emoções inflamáveis, o procrastinador rebelde, tende a culpar muito os outros e não assumir as suas responsabilidades e depois de um curto período acaba se revelando um líder ruim e normalmente não costuma realizar seus objetivos.

Como lidar com procrastinação rebelde?

Essa raiva ou emoções fortes que existem dentro do sujeito rebelde procrastinador podem ser devido a traumas ou suas próprias frustrações consigo, as quais procura tanto ignorar.

Então, o perdão acaba sendo muito bem vindo nessa situação. Entenda que perdoar não é esquecer, mas sim parar de cobrar a dívida do que aconteceu e seguir em frente! Às vezes é isso que te falta.

O procrastinador dramático

Talvez o mais comum de todos… o procrastinador dramático é aquele que procura fazer na última hora, pois acredita que trabalha melhor sob pressão, e inclusive fica orgulhoso disso.

Ter um prazo final apertado aumenta a adrenalina e faz com que o procrastinador dramático vista uma roupa de super-herói e conclua o que precisa ser feito e “salve o dia”.

O dramático, quando se trata de procrastinação, costuma ser aquele sujeito que só se mexe quando a água bate na bunda (e alguns no pescoço).

Tendem a ser criativos, afinal, conseguem se virar nos 30, porém seu sofrimento acaba sendo grande, muitas vezes.

A tensão gerada pela procrastinação associada ao prazo apertado, acaba liberando muita adrenalina e cortisol em seu sistema.

Procrastinadores dramáticos tendem a ser dependentes de outras pessoas, já que vivem em seu próprio mundo, tem dificuldade de serem realistas e tendem a ser mais sonhadores.

Esse dependência está relacionada pela manipulação emocional que os procrastinadores dramáticos fazem ao seu redor, eles precisam de um público.

Dessa maneira o procrastinador consegue a atenção dos outros quando está no modo de vítima, o que permite postergar seus afazeres. Eles vivem em suas histórias e usando isto como desculpa.

Drama e procrastinação tomam muita energia, mas é o mesmo tipo de energia que requere para produzir.

Como lidar com a procrastinação dramática?

Precisamos ter uma cautela com esse público, o procrastinador dramático não apenas cria inconscientemente seu show, ele realmente sofre com ele.

As dificuldades de lidar com o seu lado emocional, podem gerar ideações suicidas.

Portanto, por mais que seja um drama, escute. Se existe um drama, existe uma necessidade, tente acolher a pessoa, mas incentive-a a sair de sua zona de conforto, buscar ajuda profissional e seguir em frente!

O procrastinador ocupado

O procrastinador ocupado, faz parte do grupo de pessoas que que procrastinam mas que acabam fazendo no fim das contas.

Esse tipo de procrastinador tem dificuldade em dizer não e por isso,  acaba aceitando tudo o que os outros pedem ou sugerem, deixando suas prioridades de lado.  Acabam fazendo muitas coisas, porém produzem pouco do que realmente é necessário.

É comum ver procrastinadores ocupados sofrendo com sua saúde física e emocional.

Como mencionamos, é quase impossível procrastinar em todas as áreas de nossas vidas, os ocupados frequentemente produzem muito na carreira profissional, mas esquecem por completo as outras áreas da vida.

Normalmente os procrastinadores ocupados são aquelas pessoas que sentem uma necessidade grande de aprovação, tendo dificuldade de dizer não e sentindo-se responsáveis pela dor do outro, muitas vezes isso vem através de um sentimento de culpa.

Essa culpa faz com que esses procrastinadores sintam-se ainda mais sobrecarregados, pois desse maneira não se sentem dignos de descansarem ou tirar umas férias.

O livro “Mulheres que amam demais” fala um pouco sobre esse excesso de responsabilização, inclusive diz que esse é um dos motivos que mulheres acabam entrando em um relacionamento abusivo. Desse jeito, esse tipo de procrastinador acaba não tendo a sua própria vida, e também já pode-se intuir que são pessoas que não conseguem delegar funções.

Como lidar com a procrastinação ocupada?

Se você se identifica como um procrastinador ocupado, sugiro que procure balancear melhor as áreas de sua vida. Nem todas as áreas realmente são importantes para nós, mas temos que ter em mente que se não cuidar de algumas em específico (relacionamento, lazer, alimentação, exercícios, etc…) a chance é de simplesmente não alcança mais nada do que deseja por algum acometimento de sua saúde física ou emocional.

Saiba a diferença entre prioridades e demanadas.

Entenda a diferença entre prioridades e demandas.

Defina suas prioridades, os eventos e situações que tem importância para você e que dependem exclusivamente de você.

Defina suas demandas, são tarefas importantes para outra pessoa porém dependem do seu tempo.

Por exemplo, férias são uma prioridade. Se você se recusa a tirar  ou “vende” suas férias pois, sente sua equipe ou chefe “dependem de você” ( e isso é uma demanda) e sente culpado pois ao descansar vai “deixar os outros na mão”, julga-se não merecedor… está na hora de buscar ajuda.

Pode ser difícil conseguir diferenciar logo de cara quais são suas prioridades e demandas,  logo mais abaixo, coloquei uma tabela de Eisenhower, um exercício que pode ajudar muito a diferencia-las.

Como vencer a procrastinação

1 - Tenha metas

Trace metas realistas e tenha propósitos/objetivos que são maiores do que os problemas que te causam a procrastinação:

É importantíssimo saber onde queremos chegar, para termos uma ideia de que tipo de sentimento esperamos ao conquistar o nossos objetivos.

É muito comum, em programas de emagrecimento pedirem para que você  coloque uma foto sua de quando estava com o peso que gostava, ou então ter sempre a vista uma roupa sua que gostaria de vestir. Assim seu objetivo permanece claro e a emoção da conquista almejada também.

Porém, temos sempre que tomar cuidado com o excesso de cobrança. Se você ver que usar esse tipo de recurso visual, de ter sempre a vista seu objetivo, te faz ficar mais chateado/triste com a sua posição atual, seria interessante não usar de início e trabalhar primeiro a autocompaixão.

É necessário com que você aceite seu estado atual para que possa mudar e alcançar seu desejo, porém se a autocrítica ficar muito grande, gerando sentimentos de: ansiedade, desespero, insatisfação, desgosto, vergonha… Sentimentos que não irão te ajudar de maneira saudável, mude a abordagem e busque ajuda profissional antes que esses sentimentos acabem desencadeando novamente comportamentos de procrastinação.

2 - Estabeleça rotinas

Vencer a procrastinação envolve disciplina. Não adiante querer ter uma rotina digna de um quartel do dia para a noite, comece com coisas simples, mas que tenham constância.

Você pode começar por algo que tem vontade mas sempre deixa para depois, com arrumar a cama todo dia de manhã e ao cumprir sua meta, orgulhe-se.

Depois, comece a se programar para ir dormir em um determinado horário e acordar em outro, e, novamente, fique feliz por isso!

Aos poucos, começará a enxergar as armadilhas que inconscientemente cria para si e as desculpas que a mente cria.

Pensamentos de que “isso é muito pequeno”, “não tem importância” ou “todo mundo faz isso” provavelmente em algum momento irão acomete-lo. Lembre-se que até pouco tempo você não conseguia, essa é uma vitória sua e nada pode tirar seu mérito, se é pequeno para os outros, não importa, é uma prioridade sua, orgulhe-se.

A ideia é  inserir pouco a pouco rotinas saudáveis dentro da sua vida, mas lembre-se, pode ser que para inserir algo, outra coisa precisará ser negada. Então, dependendo do caso é bom começar a eliminar certos comportamentos antes de acrescentar novos.

Um exemplo seria: dificuldade de dormir no mesmo horário sempre por que mexe no celular antes de dormir, então ao tomar banho, já coloque o despertador e assim que for sair do banheiro já vá direto para cama dormir.

3 - Planejamento

Assim como falamos na rotina, comece planejando poucas coisas durante o seu dia. É muito comum, quando queremos começar a ser mais produtivos, encaixar várias e várias coisas para fazermos durante o dia.

O problema é que por já não termos o hábito de planejar, acabamos colocando mais afazeres do que conseguimos de fazer, não é uma questão do que somos capazes, mas do que estamos acostumados.

Tome cuidado com as expectativas, se você tem em sua mente que será mais produtivo, fala que irá “ganhar o mundo” e logo de cara começa o dia sem terminar tudo o que você se propôs (por ter colocado muitos afazeres), ferrou! Provavelmente acabará frustrado e duvidando de si.

Portanto, vá com calma! Encare isso como se fosse um treino de academia. Não adianta querer puxar 45kgs de cada lado no supino no primeiro dia ou então treinar todo dia o mesmo ritmo logo de início. Você vai se machucar e assim é em qualquer novo de hábito.

Seja saudável e respeite o seu corpo e seus limites! Lembre-se, busque o equilíbrio.

4- Entenda o que é produtividade

Produtividade não está obrigatoriamente está atrelada a uma questão financeira.

Procure pensar na produtividade nas coisas que realmente te fazem bem e te preenchem.

Você pode utilizar da Matriz/Tabela de Eiseinhower para organizar seu tempo e suas prioridades. Por mais que esteja escrito no quarto quadrante “Elimine”, procure apenas diminuir, pois é bom termos um ócio programado.

Matriz de Eisenhower

5- Arrume seu ambiente de trabalho

Estar em um ambiente limpo e organizado é algo simples, mas essencial.

É praticamente impossível para seu cérebro se sentir tranquilo, relaxado, seguro, em um ambiente caótico.

Aqui a ideia de ser minimalista é bem vinda! Isto dará menos distrações para interagir, além de ter um ambiente menos poluído.

6 - Conheça as motivações de seus objetivos

Observe-se e conheça os motivos que te fazem buscar seus objetivos, veja se coincidem com seus valores, se são desejos intrínsecos seus ou apenas algo que te disseram que você precisava. 

Por que você quer perder peso? Por que quer trocar de carreira? Por que quer aquele carro? Por que essa viagem para a praia se você nem gosta de praia?… Às vezes o que queremos é muito mais imposto pela sociedade o que realmente um desejo genuíno nosso. 

Após ter refletido sobre isso, veja se você está disposto a pagar o preço! Nem sempre, queremos realmente pagar o preço para atingir um objetivo e se for esse seu caso, reveja suas metas. 

7 - Procure ajuda

Vencer a procrastinação exige muito mais do que esforço ou vontade. Assim como qualquer problema que afeta nossas vidas, ter a sabedoria de buscar as ferramentas corretas e a humildade de buscar ajuda são a chave para o sucesso.

Se você identificou, que tem um problema com procrastinação ou que alguém querido está passando por esse tipo de dificuldade, procure ajuda.

Você pode se inscrever em nosso curso Como Vencer a Procrastinação ou me chamar diretamente via e-mail, whatsapp ou redes sociais.
Não vai deixar para depois hein!

Caso queira um curso nosso para superar a procrastinação, clique aqui!

Iremos te explicar certinho como e quando será o curso!
Foto da equipe com o psicólogo Leonardo Garcia

Por Leo Garcia

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

Clique para